A Ar/Tv Trans foi criada com o objetivo de dar voz para uma comunidade pouco vista

imagem-blog-600x400-02

Daniela Ruiz é uma mulher transexual* e, assim como a maioria das mulheres transexuais, já foi agredida por este motivo. Ela é da Argentina e saiu da sua cidade natal, depois de sofrer violência doméstica, para viver na capital do país: Buenos Aires. Conforme a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), o índice de violência contra pessoas trans nas Américas é considerado “extremamente alto”.

Ao chegar na nova cidade, a discriminação continuou. Desta vez, ela vinha de habitantes da cidade e até mesmo de policiais. Sem oportunidade em outras áreas profissionais, ela acabou seguindo no mesmo caminho que a maioria das mulheres transexuais vão: a prostituição. De acordo com a Associação Nacional de Travestis e Transexuais do Brasil (Antra), 90% das travestis e transexuais são obrigadas a entrar na prostituição para se sustentar.

Após muito sofrimento, ela conheceu seu atual marido e os dois iniciaram uma floricultura na cidade. Já com uma situação financeira melhor, Daniela foi atrás do seu sonho e estudou nas melhores escolas de teatro e dança. Mas, ao tentar começar a atuar, os papéis oferecidos para ela eram sempre os mesmos: prostituta ou bobo da corte. A atriz percebeu que não era a única nesta situação, outras mulheres transexuais estavam passando pela mesma frustração. Foi aí que surgiu a ideia de criar a primeira cooperativa teatral formada por mulheres trans, a Ar/Tv Trans.

A ideia não era entreter o público com papéis cheios de preconceito, como os que ofereciam para elas. O objetivo era contar suas histórias de vida e dar voz para uma comunidade pouco vista. A primeira peça que elas estrearam, chamada “Hotel Golondrina”, era baseada em um local sem recursos onde se abrigaram com muita dificuldade em Buenos Aires. Depois surgiram outras apresentações, algumas com mais humor, outras mais sérias, mas todas mostrando de alguma forma, a realidade das pessoas trans.

Com a cooperativa, Daniela Ruiz criou uma oportunidade de trabalho para muitas mulheres, ensinando o teatro. Além disso, está ajudando a contar para os mais diversos públicos, a realidade de quem é transexual. A Ar/Tv Trans é registrada como uma cooperativa do ramo de trabalho e tem estatuto legal subsidiado pelo Ministério do Trabalho do país.

Fonte: BuzzFeed Argentina

*Transexual: Indivíduo cuja identidade de gênero difere daquela designada no nascimento.

Compartilhe: