Conheça o trabalho dos conselheiros fiscais e a importância dele para as cooperativas

01-fotoblog-transparencia.png

A gestão democrática é um dos princípios que regem o cooperativismo. Para que as decisões sejam tomadas de forma realmente democrática é necessário que exista transparência. Assim, é possível garantir que os interesses dos cooperados estejam sempre em primeiro lugar.

Desde a Constituição de 1988, o Estado não tem mais poder para interferir diretamente nas regras que regem as cooperativas. São os próprios cooperados que fazem a fiscalização, por meio do Conselho Fiscal, que é um órgão independente, neutro e eleito em Assembleia Geral.

Mas o que esse tal de Conselho Fiscal faz?

Os cooperados que fazem parte do Conselho Fiscal cuidam do patrimônio e da contabilidade da cooperativa. Ou seja, verifica se o dinheiro está sendo investido da melhor forma. Para isso, eles examinam livros, documentos, fichas e demais registros. A partir destes dados, eles avaliam a idoneidade e eficácia das ações tomadas pela administração da cooperativa.

Apesar do foco do trabalho do Conselho Fiscal ser no patrimônio e contabilidade, eles também acompanham as outras atividades de modo mais geral. Depois de avaliar todos os documentos, os fiscais fazem relatórios, pareceres e sugerem soluções para melhorar o desempenho da cooperativa.

Para ser fiscal, basta ser eleita ou eleito?

Não. Além da eleição democrática feita pelos cooperados em Assembleia Geral, para fazer parte do Conselho Fiscal é importante passar por um treinamento. O Sescoop de cada estado realiza a Formação de Conselheiros Fiscais de cooperativas.

Agora você já conhece o trabalho dos conselheiros. O Conselho Fiscal é extremamente importante para que a cooperativa se torne ainda melhor e para que os cooperados tenham os seus interesses defendidos. No cooperativismo, a transparência é essencial!

Compartilhe: