Além de tirar jornalistas do desemprego, o sistema cooperativista proporciona mais autonomia para imprensa

thumbs-02

Há alguns anos o jornal Eleftherotypia, da Grécia, fechou por dívidas de impostos e de empréstimos bancários. Isso causou o desemprego de cerca de duas mil pessoas! Diante da situação, uma parte destes jornalistas decidiu unir forças e criar uma cooperativa jornalística. A ideia deu tão certo que o jornal Efimerida, produzido por eles, é um dos mais lidos de Atenas, atualmente.

Por ser uma cooperativa, na Efimerida, todos os trabalhadores recebem o mesmo salário: desde os repórteres, até editores e diretores. Além de ter sido responsável por tirar esses profissionais do desemprego, ele também proporciona uma autonomia maior da imprensa, comparado aos outros jornais. O critério editorial é: liberdade de expressão, da imprensa, e das pessoas.

O foco do jornal Efimerida é tornar públicas as situações que são ignoradas pela imprensa tradicional. Isso torna o jornal bastante importante para o país, que já tem um histórico de corrupção política.  Aqui no Rio Grande do Sul também existiu uma cooperativa de jornalistas, a Coojornal, que ficou conhecida por “incomodar” a ditadura militar. Mas isso é história para outro post. 😉

Compartilhe: