Os 17 itens são inspiração para ações no Brasil

    As cooperativas brasileiras acreditam nos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável propostos pela Organização das Nações Unidas e assinados por líderes de 193 países. Até 2030, os ODS devem ser colocados em prática em todo o mundo e as cooperativas também entraram nessa corrente.

    Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável são a inspiração para as ações de transformação social realizadas no Brasil por cooperativas, começando pelo Dia de Cooperar – que neste ano tem o slogan: “O poder de agir para um futuro sustentável”.
Conheça cada um dos ODSs:
600x400(14)

1- Erradicar a pobreza: Acabar com a pobreza em todas as suas formas e em todos os lugares. De acordo com dados da ONU, o número de pessoas que vivem em extrema pobreza diminuiu mais da metade desde 1990, mas cerca de 836 milhões de pessoas ainda vivem com menos de R$4,45 reais por dia. Um exemplo de ação é o projeto de inclusão realizado em Rio Branco, capital do Acre, no ano passado. 14 cooperativas desenvolveram ao longo de um ano atividades em comunidades carentes. Em especial, o Bairro Montanhês, um dos mais vulneráveis e carentes da região.

2- Fome zero e agricultura sustentável: Eliminar a fome, melhorar a nutrição e a segurança alimentar e promover a agricultura sustentável. O Estado de Insegurança Alimentar no Mundo – 2015, divulgado pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), cita os avanços brasileiros na diminuição do número de pessoas em situação de fome nos últimos anos. O Brasil, entre os países mais populosos, teve a maior queda de subalimentados entre 2002 e 2014, diminuindo 82,1%. A América Latina reduziu em 43,1% esse total. O Sistema OCB/RJ, em parceria com o Instituto Sicoob, realizou durante o mês de abril de 2016 a Campanha “Ajudar é fácil – Pratique cooperação”.

3- Saúde e bem-estar: Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades, reduzindo a taxa de mortalidade materna global para menos de 70 mortes por cem mil nascidos vivos e diminuir pela metade as mortes e os ferimentos globais por acidentes em estradas, além de acabar com as epidemias de AIDS e de outras doenças transmissíveis. Um exemplo de iniciativa é o projeto realizado em Aracaju/SE, em 2015. Em uma parceria entre as cooperativas do Estado e a Unidade Móvel do Programa DST/Aids e Hepatites Virais, da Secretaria de Saúde do Estado, mais de 320 pessoas realizaram testes rápidos para detecção de doenças, além de acompanhamentos médicos em diversas áreas.

4- Educação de qualidade: Assegurar a educação inclusiva e de qualidade e também promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos. Como meta para os próximos anos, é fundamental garantir que todas as crianças completem o ensino primário e secundário com qualidade. É de extrema importância apoiar também a educação para homens e mulheres, seja na alfabetização, técnica ou superior de qualidade. Pensando em fornecer educação de qualidade para crianças e jovens de baixa renda, a cooperativa Unicred Aracaju desenvolve ações de alfabetização e reforço escolar para crianças e adolescentes carentes de 5 a 13 anos em situação de risco.

5- Igualdade de gênero: Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas. O foco é acabar com todas as formas de discriminação e protegê-las nas esferas pública e privada, incluindo o combate ao tráfico e à exploração sexual. O projeto “Igualdade de Gênero e Não Discriminação”, realizado pela Câmara dos Deputados da cidade de Abrantes, em Portugal, que trabalha fundamentalmente o desenvolvimento de planos locais para promover a igualdade entre homens e mulheres e eliminar a discriminação. O direito à igualdade não elimina as diferenças existentes entre mulheres e homens, mas sim reconhece e as valoriza.

6- Água potável e saneamento: Garantir disponibilidade e manejo sustentável da água e saneamento para todos. A meta até 2030 é de alcançar o acesso universal e equitativo à água potável e segura para todos. Também buscar o acesso a saneamento e higiene adequados e equitativos para todos, além de acabar com a defecação a céu aberto, com especial atenção para as necessidades das mulheres e meninas e daqueles em situação de vulnerabilidade. Em Mato Grosso do Sul, a Cooperativa COPASUL inovou ao realizar o projeto ‘‘Um modelo de preservação de nascente – Água Sumida’’. Atentas às questões ambientais, um grupo de mulheres de Naviraí desenvolveu em 2014 um projeto-piloto de recuperação de nascentes de um dos afluentes do Rio Laranjaí, o único rio que percorre todo município de Naviraí/MS.

7- Energia acessível e limpa: Garantir acesso à energia barata, confiável, sustentável e renovável para todos. Aumentar substancialmente a participação de energias renováveis na matriz energética global. O Dia de Cooperar já deixou resultados profundos em Paragominas (PA), município que sediou a grande celebração do cooperativismo paraense em 2015. Lá surgiu a iniciativa pioneira em geração de energia sustentável, a Cooperativa Brasileira de Energia Renovável (Coober). Os cooperados pretendem implantar uma usina que fará a distribuição para cada residência. O objetivo é produzir a energia que cada um consome. Um grupo de amigos que tem a visão de um mundo diferente que terá a produção descentralizada de energia e de uma forma renovável, como hoje é na Alemanha.


8- Trabalho decente e crescimento econômico:
Promover políticas orientadas para o desenvolvimento que apoiem as atividades produtivas, geração de emprego decente, empreendedorismo, criatividade e inovação, e incentivar a formalização e o crescimento das micro e pequenas empresas, inclusive por meio do acesso a serviços financeiros. A Copamart, em Manaus, trabalha neste objetivo capacitando pessoas através de oficinas de artesanato para possibilitar que essas tenham uma renda extra através da venda dos produtos fabricados.

9- Indústria, inovação e infraestrutura: Construir com infraestrutura resiliente, promover a industrialização inclusiva e sustentável, e fomentar a inovação. Em sequência o foco será desenvolver infraestrutura de qualidade, confiável, sustentável e incluir a infraestrutura regional, para apoiar o desenvolvimento econômico e o bem-estar humano, com foco no acesso equitativo e a preços acessíveis para todos. Até 2030 será aumentado o acesso das pequenas indústrias e outras empresas, particularmente em países em desenvolvimento, aos serviços financeiros, incluindo crédito acessível e sua integração em cadeias de valor e mercados. A cooperativa de crédito Sicoob Empresarial/DF realiza oficinas e palestras sobre educação financeira para crianças, adolescentes e a comunidade escolar. O projeto leva as pessoas a refletirem para o uso consciente do dinheiro e incentiva o uso da poupança, além de proporcionar que elas façam um planejamento financeiro e, assim, possam conhecer o crédito e o serviço financeiro desde jovens.

10- Redução das desigualdades: Reduzir essa distinção dentro dos países e entre eles. Até 2030, a meta é promover a inclusão social, econômica e política de todos, independentemente da idade, gênero, deficiência, raça, etnia, origem, religião, condição econômica ou outra. Progressivamente, buscarão alcançar e sustentar o crescimento da renda dos 40% da população mais pobre a uma taxa maior que a média nacional. Criado em 2004, o Projeto Amiguinhos é um exemplo deste objetivo. É o resultado de um trabalho social e voluntário, desenvolvido pelo Instituto Amigos da Inclusão Social – IAIS, feito para crianças e adolescentes em situação de risco, do Conjunto Almirante Tamandaré e adjacências, em Aracaju/SE. Desde a sua criação, o Projeto assistiu à aproximadamente 1000 (mil) crianças e adolescentes. O Projeto Amiguinhos proporciona oficinas de leitura e escrita, matemática, capoeira, danças populares, oficina de civismo, além de acompanhamento social.

11- Cidades e comunidades sustentáveis: Tornar as cidades e os assentamentos humanos mais inclusivos e seguros. Garantir o acesso de todos à habitação segura, adequada e a preço acessível, e aos serviços básicos e urbanizar as favelas, é uma das metas a serem alcançadas até 2030. Também será traçado uma forma de proporcionar o acesso a sistemas de transporte seguros, acessíveis, sustentáveis e a preço acessível para todos, melhorando a segurança rodoviária por meio da expansão dos transportes públicos, com especial atenção para as necessidades das pessoas em situação de vulnerabilidade, mulheres, crianças, pessoas com deficiência e idosos. O Programa Vida Verde das cooperativas Unimed Santa Bárbara d’Oeste e Americana/SP prevê o plantio de uma muda de árvore para cada bebê nascido na maternidade do Hospital Unimed Americana. E já soma mais de quatro mil mudas plantadas. A ação tem como objetivo criar um vínculo entre a família e a natureza, construindo uma história entre a criança e o meio ambiente, desde o seu nascimento.

12- Consumo e produção responsáveis: Assegurar os padrões de produção e de consumo sustentáveis. Até 2030, pretende-se alcançar uma gestão mais sustentável e o uso eficiente dos recursos naturais Também será necessário reduzir pela metade o desperdício de alimentos per capita mundial, nos níveis de varejo e do consumidor, e reduzir as perdas de alimentos ao longo das cadeias de produção e abastecimento, incluindo as perdas pós-colheita. Ainda com o olhar no consumo sustentável, a campanha “Doe livros, compartilhe conhecimento e coopere com o meio ambiente” realizada pela CREDUNI – Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores das Instituições Públicas da Paraíba, arrecadou livros novos e usados, e papéis recicláveis dentro de uma das iniciativas do Dia C.

13- Ação contra a mudança global no clima: Tomar medidas urgentes para combater a mudança do clima. Reforçar a resiliência e a capacidade de adaptação a riscos relacionados ao clima e às catástrofes naturais em todos os países. É indispensável integrar medidas da mudança do clima nas políticas, estratégias e planejamentos nacionais. Dentro dessa meta é possível destacar a busca pela melhoria na educação, aumentar a conscientização e a capacidade humana e institucional sobre mitigação, adaptação, redução de impacto e alerta precoce da mudança do clima. Desde 2007, através do Projeto Energia Verde em Harmonia Ambiental, a Cooperativa Certel concede o Selo Carbono Neutro a empresas e entidades públicas que neutralizam suas emissões de gases de efeito estufa, principais causadores do aquecimento global. Essa neutralização é efetuada por meio de plantio de mudas de árvores produzidas pelo Viveiro de Essências Florestais.

14- Vida na água: Conservar e usar de forma sustentável os oceanos, os mares e os recursos marinhos. Até 2030, será firmada uma forma sustentável de proteger os ecossistemas marinhos e costeiros para evitar impactos diferentes e significativos, inclusive por meio do reforço da sua capacidade de resiliência, e tomar medidas para a sua restauração, a fim de assegurar oceanos saudáveis e produtivos. A cooperativa de Infraestrutura CERTAJA realiza a limpeza das margens do Rio Taquari. Os voluntários recolheram quase meia tonelada de lixo. Para conscientizar os moradores da região sobre a importância da preservação dos recursos hídricos, a equipe responsável pela ação expõe todo o conteúdo coletado em contêineres em praças públicas.

15- Vida terrestre: Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade. As cooperativas de Tocantins, preocupadas em reverter a atual situação da biodiversidade no País, realiza projetos de Construção e Revitalização de Praças Ecológicas em Pedro Afonso/TO.

16- Paz, justiça e instituições eficazes: Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis. Busca também reduzir significativamente todas as formas de violência e as taxas de mortalidade relacionada em todos os lugares. Acabar com abuso, exploração, tráfico e todas as formas de violência e tortura contra crianças. Até 2030, irá reduzir significativamente os fluxos financeiros e de armas ilegais, reforçar a recuperação e devolução de recursos roubados e combater todas as formas de crime organizado. O Dia de Cooperar surgiu com o intuito de ofertar à comunidade serviços básicos que fomentam a cidadania.

17- Parcerias e meios de implementação: Fortalecer os meios de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável. Mobilizar recursos financeiros adicionais para os países em desenvolvimento a partir de múltiplas fontes, além de fortalecer a mobilização de recursos internos, inclusive por meio do apoio internacional aos países em desenvolvimento, para melhorar a capacidade nacional para arrecadação de receitas. As cooperativas do Estado de São Paulo, participantes do programa Aprendiz Cooperativo se mostraram preocupadas em proporcionar condições mínimas de vida para os imigrantes no País. Na edição 2014 do Dia C, um grupo de 150 aprendizes cooperativos realizou a entrega de alimentos não-perecíveis e itens de higiene pessoal na Igreja Nossa Senhora da Paz, localizada no centro de São Paulo. A entidade ampara imigrantes haitianos que chegam ao País até que eles sejam encaminhados para programas sociais e possíveis oportunidades de trabalho.

Compartilhe: