Instituição é responsável pela capacitação, informação e intercâmbios das cooperativas associadas

No ano passado, a elaboração de vinhos e derivados sofreu uma queda histórica. Foi reduzida aproximadamente 55% da produção. Mesmo assim, as cooperativas vitivinícolas cresceram mais de 19% no seu faturamento, comparado com 2015. Isso quer dizer que o cooperativismo está conseguindo alcançar mais espaço, mesmo durante a crise. Parte deste crescimento tem a ver com a Federação das Cooperativas Vinícolas do Rio Grande do Sul (Fecovinho), que está comemorando 65 anos de existência.

Atualmente, são dez cooperativas associadas à instituição: Alfredo Chavense, Aurora, Forqueta, Garibaldi, Ipê, Nova Aliança, Pompéia, Pradense, São João e Victor Emanuel. Em 2016, 30,6% da produção brasileira de derivados de uvas foi realizada pelas cooperativas associadas à Fecovinho. No Rio Grande do Sul, cerca de 5 mil famílias são responsáveis por 25% da produção anual de uvas e vinhos do Estado.

Trabalhos da Fecovinho

A Fecovinho é responsável pela capacitação, informação, intercâmbios e aprofundamento dos debates que envolvem as questões das cooperativas filiadas. Em 2006, a Fecovinho criou a Central das Cooperativas da Serra Gaúcha (Cenecoop – Serra). Assim, já foi possível comprar grandes volumes de insumos industriais e enológicos, reduzindo custos e aumentando potencialidades comerciais.

A parceria firmada com o Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome foi outra importante ação da Fecovinho. Assim, 5 milhões e 500 mil litros de suco integral de uva foram fornecidos a entidades assistenciais e educacionais. O foco da instituição é a inclusão social, por meio do melhoramento tecnológico, da produção de derivados com qualidade e de uma melhor remuneração do trabalho e condições de vida de todos os envolvidos no processo produtivo.

Compartilhe: