O objetivo é destacar os múltiplos papéis positivos que ela desempenha para as sociedades contemporâneas.

A Organização das Nações Unidas declarou 2014 como Ano Internacional da Agricultura Familiar, em reconhecimento à contribuição deste segmento para a segurança alimentar e a erradicação da pobreza no mundo.

O objetivo é destacar os múltiplos papéis positivos que ela desempenha para as sociedades contemporâneas. Além de ser responsável pela produção de 80% dos alimentos no mundo, conserva ecossistemas e a biodiversidade, produz e reproduz culturas rurais, gera trabalho digno e riquezas sociais que são distribuídas de forma equitativa na sociedade. Aqui no Brasil é responsável pela produção de 70% dos alimentos consumidos pela população.

Por esta razão, tem papel fundamental na erradicação da fome e pobreza, na provisão de segurança alimentar e nutrição, na melhora dos meios de subsistência, na gestão dos recursos naturais, na proteção do meio ambiente e no desenvolvimento sustentável, particularmente nas áreas rurais.

A ideia da ONU é promover em todos os países políticas públicas que favoreçam o desenvolvimento sustentável de sistemas de produção agrícola baseados em unidades familiares, fornecer orientações para pôr em prática essas políticas, incentivar a participação de organizações de agricultores e despertar a consciência da sociedade civil para a importância de apoiar a agricultura familiar.

No Brasil, segundo o Censo Agropecuário de 2006, – o mais recente feito no país -, entre 1996 e 2006 havia 13,7 milhões de pessoas envolvidas com a agricultura familiar.

Compartilhe: