O empreendedorismo, dentro ou fora do cooperativismo,
é a combinação entre estudo, planejamento e insistência

Post-4dicas-empreender-WIDE

Pesquisa da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) divulgada recentemente mostra que dois em cada três jovens brasileiros sonham em ter o próprio negócio. A pesquisa aponta, no entanto, que a maioria desses jovens não sabe por onde começar.

A pesquisa também aponta os motivos que fazem o jovem querer empreender. O primeiro é a realização de um sonho. Depois, ter melhor qualidade de vida e mais ganho financeiro. Muitos acham o mercado promissor e há os que sonham também com a possibilidade de não ter chefe.

Se você é um desses jovens que sonha empreender, o Geração Cooperação tem quatro dicas para te ajudar. Confira:

1. Estude e compreenda seu modelo de negócio

Você vai vender o que e para quem? Quais os problemas dos clientes que sua empresa se propõe a solucionar? Qual sua proposta de valor? Quais são os pontos fracos e fortes em relação a quem já faz isso? Entender o seu modelo de negócio é saber como que sua empresa gera e entrega valor para os seus clientes.

De maneira mais prática, é a estruturação das etapas que compõem a forma com que a sua empresa fará o que se propõe. Essa visão macro da sua empresa vai ser fundamental para avaliar de maneira estratégica como entregar ao seu cliente o melhor produto ou serviço da maneira mais prática e lucrativa para você, a curto, médio e longo prazo!

A dica aqui é: coloque no papel cada um dos quesitos que levantamos. Trata-se do canvas, uma metodologia muito simples, mas extremamente eficaz.

2. Pense no Capital inicial

Compreendido seu modelo de negócio, o próximo passo é saber quanto você vai precisar para iniciar as atividades.

Existem alguns tipos de negócios que você pode montar a partir de casa e não despendem quase nada de capital inicial. Outros, exigem estoques, escritórios, entre outros custos iniciais que devem ser levados em conta. Mais um motivo para saber em qual modelo de negócios você se encaixa.

Tão importante quanto saber quanto você precisará para iniciar é saber onde captar esse dinheiro, e as alternativas são variadas. Hoje, existem financiamentos coletivos, que possuem taxas de juros menores; existem linhas de financiamento do BNDES, que também são facilitadas; ou, o que seria melhor, você pode usar capital próprio ou de algum parente.

O fundamental aqui é estabelecer em quanto tempo você tem a expectativa de que o capital investido dê retorno, para não ter surpresa no meio do caminho e ficar sem condição de gerir seu negócio. Então estabeleça prazos e saiba calcular o Retorno Sobre Investimento.

3. Estude seu mercado

Se você quer empreender, é importante saber que terá de enfrentar concorrências de diferentes comportamentos e naturezas. Ela não é necessariamente a sua inimiga, mas pode ser algo que você possa se espelhar para fazer melhor.

Para isso, é fundamental que você estude o que já foi feito no segmento que pretende atuar, analise quais produtos são oferecidos e os benefícios deles. Aí você pode criar algo que se diferencie e faça barulho no mercado.

4. Acima de tudo, persistência

A última dica que o Geração Cooperação te dá é ter coragem. Sem coragem nada sai do papel e você não sai da sua zona de conforto. Quando você tem capital inicial e conhece o mercado, fica mais fácil fazer com que a coragem supere o seu medo. Quer saber por quê?

Lisa M. Amos, executiva que trabalhou durante anos para o Governo dos Estados Unidos, possui um estatística na ponta da língua que demonstra a necessidade da persistência no empreendedorismo:

Os empreendedores falham, em média, 3,8 vezes antes do sucesso final. O que separa os bem-sucedidos dos outros é a persistência”.

Que o Empreendedorismo e Cooperativismo tem tudo a ver nós já dissemos aqui, agora só falta deixar de lado o medo de falhar. E, se falhar, continuar 😉

Compartilhe: