O que é a Indústria 4.0 e quais oportunidades que ela gera para o cooperativismo?

capa-industria4ponto0

A primeira grande revolução industrial foi promovida por tecnologias mecânicas como máquinas a vapor e ferrovias e aconteceu entre os anos de 1760 e 1840. A segunda foi caracterizada principalmente pelo uso da eletricidade, pela criação das linhas de montagem e pela consequente produção em massa de bens de consumo, e ocorreu entre o final do século 19 e início do século 20.

A terceira veio com as tecnologias da informação a partir da década de 1960, e se acentuou a partir de 1990 com o advento da internet e as novas plataformas digitais.

Agora o mundo vive sua quarta revolução industrial, que está sendo chamada de Indústria 4.0, caracterizada pelo acelerado desenvolvimento da internet industrial, que une máquinas inteligentes, análise computacional avançada e trabalho colaborativo entre pessoas conectadas, promovendo uma completa descentralização do controle dos processos produtivos e uma proliferação de dispositivos inteligentes interconectados ao longo de toda cadeia produtiva e logística.

As oportunidades cooperativas por trás da revolução

A Indústria 4.0 cria enormes oportunidades para as cooperativas e cooperados que trabalham com as novas tecnologias. Muito do que será imprescindível em um futuro próximo para transformar os processos industriais, a oferta de serviços, a agricultura de precisão, os meios de transporte e outros ramos cooperativos ainda precisa ser desenvolvido.

Grande parte dessas novas tecnologias ainda carece de ser aprimorada ou adaptada aos meios cooperativos para que delas resultem os benefícios anunciados por esta revolução.

O mundo precisará cada vez mais de cooperativas, empresas, startups e pessoas focadas em energias sustentáveis, renovadas e inovadoras; softwares de segurança da informação e de automação de conhecimento; serviços e produtos de simulação no setor da engenharia; internet industrial; robótica; plataformas digitais; desenvolvimento de novas matérias-primas; indústria customizada a partir de impressão 3D; armazenamento na nuvem; Internet das Coisas (IoT, a sigla em inglês para Internet of Things); Analytics; Big Data; entre outros campos.

Onde minha cooperativa entra nisso?

Tornar a Indústria 4.0 uma realidade no meio cooperativo implica na adoção gradual de um conjunto de tecnologias emergentes de TI e automação industrial. Cooperativas de crédito, por exemplo, cada vez mais se transformam em empresas tecnológicas utilizando-se da Internet das Coisas para oferecer serviços online a seus associados.

As Cooperativas agrícolas, por sua vez, investem em agricultura de precisão, conectando máquinas agrícolas com sistemas de gestão através do IoT, em que o maquinário agrícola pode se conectar à internet e essa conexão permite ao agricultor cooperado obter, de forma mais rápida, as informações que as máquinas geram, auxiliando na tomada de decisão, no controle dos custos e na resolução de problemas antes que estes se tornem irreversíveis, tendo que aguardar a próxima safra para recuperar o prejuízo.

Sermos produtores ou consumidores da Indústria 4.0?

O desafio das cooperativas frente à Indústria 4.0 é semelhante ao das demais empresas, ou seja, realizar a migração para o modo de produção da nova revolução industrial, transformando as cooperativas atuais em organizações da era do conhecimento. Nossas cooperativas ofertarão serviços e produtos desta Indústria 4.0 ou serão consumidoras destes.

Por isso, vale começar ontem e investir algum tempo para avaliar e aplicar as novas tecnologias nas operações cooperativas, desenvolvendo nas pessoas da cooperativa a visão do todo e implementando novos conhecimentos, habilidades e atitudes mais flexíveis, inovadoras e criativas. Tudo isso, claro, sem perder a essência cooperativa.

Compartilhe: