Confira entrevista com a jovem que iniciou como Aprendiz Cooperativa na Cotripal decidiu cursar Administração na UNICRUZ após a experiência

thumb-samara-blog

Às vezes, uma experiência de trabalho pode nos mostrar coisas que gostamos e ainda nem sabíamos. Esse foi o caso da Samara Rocha, 20, de Panambi.

Ela cursava Engenharia Ambiental e Sanitária na Universidade de Cruz Alta – UNICRUZ, quando iniciou no programa Aprendiz Cooperativo na Cotripal Agropecuária Cooperativa, com 17 anos de idade. Após a conclusão do seu período como Aprendiz, a jovem foi contratada pela cooperativa e começou a trabalhar no departamento de Recursos Humanos. “Fiquei encantada pois foi um setor com o qual me identifiquei muito”, conta.

Trabalhando na área administrativa da Cotripal, Samara decidiu trocar de curso. “Hoje estou no 4º semestre do curso de Administração da UNICRUZ e sempre buscando mais conhecimento para garantir um bom futuro profissional”, salienta a jovem.

Entrevistamos a Samara sobre a sua experiência como jovem cooperativista. Confira:

Conte para a gente um momento de realização profissional que você viveu em sua cooperativa.

Uma realização que vivi foi desenvolver um artigo acadêmico sobre o tema Inclusão de Pessoas com Deficiência no Mercado de Trabalho, que é muito abordado dentro da cooperativa. Foi aplicado um estudo de caso dentro do setor de RH, o qual pude verificar o envolvimento do setor no andamento do programa Inclusão.

O que você buscava quando procurou ingressar no Aprendiz Cooperativo?

Buscava conhecimento de como me preparar para o mercado de trabalho, pois foi o meu primeiro emprego, minha porta de entrada para o profissionalismo.

Suas expectativas foram atendidas pelo programa? Como?

Sim, pois o Programa Aprendiz aborda assuntos que encontramos todos os dias em uma organização e nos prepara para agir em certas circunstâncias.

Como o Aprendiz Cooperativo contribuiu para seu crescimento profissional?

Considero que por ter participado, ter concluído o programa e hoje trabalhar na minha área, e no momento acompanhar outros aprendizes, já é um grande crescimento.

Quais foram os ensinamentos inesquecíveis que o programa proporcionou a você?

O Aprendiz fez com que eu buscasse sempre ajudar o outro, sempre estive motivada para o trabalho, para aprender coisas novas, e procurar fazer as coisas certas e com agilidade, e caso eu não soubesse como fazer alguma tarefa, sempre buscava ajuda para não fazer errado.

Quais são seus objetivos profissionais para os próximos anos?

Apresentar meu TCC em 2018, ser aprovada, começar uma Pós-Graduação em Gestão de Pessoas e realizar a colação de grau no início de 2019, e quem sabe um dia, voltar a fazer o curso de Engenharia Ambiental e Sanitária.

Qual a principal diferença que você vê entre trabalhar em uma cooperativa e em uma empresa tradicional?

Em uma cooperativa todos trabalham juntos para alcançar objetivos, independentemente se é minha tarefa, vou me oferecer para ajudar o colega. Em uma empresa tradicional cada um tem sua tarefa e poucos se ajudam.

Se você pudesse dar um conselho para alguém que está pensando em participar do Aprendiz Cooperativo, qual seria?

Diria para aproveitar a oportunidade que está ganhando, pois hoje em meio a tantas crises econômicas o aprendiz pode ser uma porta de entrada para o mercado de trabalho. Assim como foi para mim, diria para o jovem que buscasse sempre estudar e se destacar, sendo carismático, pois isso também é um diferencial em uma cooperativa.

Compartilhe: