“O cooperativismo deve ser visto como método para resolver questões atuais e
para sermos mais colaborativos 
e envolvidos com o coletivo para o bem de todos”.
Raiffeisen

capa-SeleçãoCooperação


É ano de Copa do Mundo, amigos e cooperativados!

Em clima de Copa do Mundo, nós, do Geração Cooperação, convocamos os 11 pioneiros do cooperativismo mundial. E assim como o futebol, o cooperativismo também nasceu na Inglaterra, é um trabalho em equipe, e todos os envolvidos são apaixonados pelo que fazem.

Sem um time bem escalado, a roda não gira, a bola não entra. É preciso que todos se sintam confortáveis para agir: autonomia e independência. E a base vem como? Forte, né, amigos: educação, formação e informação. É preciso intercooperação das entidades, do primeiro ao último piso: Olá, CBF! Como vai, FGF?!

Alô, comunidade!
O futebol e o cooperativismo têm em seu DNA o interesse pela comunidade. E nós poderíamos passar dois, três artigos comentando e analisando a semelhança entre eles. Mas precisamos mostrar a nossa lista de convocados.

De antemão, já avisamos que por aqui a preferência é experiência, time com média de idade de 100 anos. Mals aê Ney.
Pode dar pitaco, sentir falta do Romário, só não pode falar da mãe.
Segue a escalação com justificativa.

01- Friedrich Wilhelm Raiffeisen (1818-1888)

Prancheta_2_cópia_9

Friedrich Raiffeisen foi um dos pioneiros do cooperativismo. Inspirado no movimento do sindicalismo agrícola, Raiffeisen também foi pioneiro da economia social e solidária e do regime de crédito mútuo. Cresceu em uma família ativamente preocupada com a comunidade e as pessoas mais necessitadas.

Com habilidade em mobilizar pessoas, além da disciplina e organização que aprendeu no Exército, Friedrich assumiu como prefeito provisório do distrito de Weyerbusch. Identificando os problemas rurais e agrícolas da região, Raiffeisen criou o que é, atualmente, o modelo mundial das cooperativas de crédito.

Até hoje seu modelo serve de base para poderosas instituições de crédito agrícola da Europa, como o Crédito Agrícola em Portugal, o Crédit Mutuel na França, o Rabobank (abreviatura de Coöperatieve Centrale Raiffeisen-Boerenleenbank B.A) nos Países Baixos e o grupo Raiffeisen na Suíça, Áustria e Alemanha.

02 – James Peter Warbasse (1866-1957)

Prancheta_2_cópia_7

Dr. James Peter Warbasse era cirurgião e advogado. Orientou e coordenou o desenvolvimento cooperativista norte-americano e acabou se tornando referência do cooperativismo mundial. Motivado pelo desejo de acabar com a desigualdade no mundo, Warbass rejeitou o socialismo, o anarquismo e o sindicalismo radical em favor da economia cooperativa  como o melhor modelo para a criação de uma economia inclusiva, no contexto da preservação da liberdade pessoal e da autonomia política. Em 1916, fundou a Liga Cooperativa dos Estados Unidos da América, que mais tarde se tornou a National Cooperative Business Association (NCBA). E, em 1955, Dr. James foi nomeado Humanista do Ano pela American Humanist Association.

03 – Robert Owen (1771-1858)

Rober Owe

Robert Owen nasceu na Inglaterra e é um dos fundadores do socialismo e do cooperativismo. Owen se preocupava com as pessoas e tornou-se gerente e coproprietário de uma fábrica em New Lanark, onde conseguiu defender o direito do trabalhador, aumentou salários e reduziu a jornada de trabalho para 10,5 horas ao dia – que, na época, chegava até 16 horas por dia.

Rumou seus interesses para as ideias socialistas, construiu casas para seus empregados e suas famílias; criou o primeiro jardim de infância e a primeira cooperativa. Em 1830, fundou uma espécie de bolsa de trabalho, onde cada produto tinha um preço estabelecido de acordo com as horas de trabalho necessárias para a confecção, o “bônus de trabalho”.

04 – Charles Fourier (1772-1858)

Prancheta_2_cópia_3

Charles Fourier nasceu na França e foi um dos teóricos do socialismo utópico do século XIX. Era crítico do cristianismo, do conservadorismo, do niilismo, da economia, do capitalismo, adversário da industrialização e da civilização urbana. Defendia que o ser humano vivesse por completo a sua natureza: as paixões e os prazeres, e estes não deveriam ser reprimidos através da moral que a sociedade impunha.

Fourier foi idealizador das cooperativas integrais de produção. Ele sugeriu a criação de falanstério: comunas de produção e moradia que abrigassem cerca de 1,6 mil pessoas. Seria uma espécie de cooperativa agrícola financiada com dinheiro público ou particular, onde as pessoas realizariam suas atividades conforme seu interesse de trabalho.

Nos falanstérios, os trabalhadores não teriam que produzir excedentes para comercialização, somente o necessário para o consumo da comunidade.

05 -Louis Blanc (1812-1882)

Prancheta_2_cópia_11

Louis Jean Joseph Charles Blanc foi um grande político que se preocupou com o direito ao trabalho, defendendo a liberdade baseada na educação geral e na formação moral da sociedade.
Apaixonado por História, Política e Economia, foi precursor do movimento socialista moderno, ou socialismo estatal. Karl Marx foi um dos autores a adotar os seus princípios.

06 – Franz Hermann Schulze-Delitzsch (1808-1883)

Prancheta_2_cópia_10

Franz Hermann Schulze-Delitzsch era alemão e exercia a profissão de juiz. Filantrópico, seu maior êxito foi na organização de Bancos Populares, para artesãos que não conseguiam crédito. Apresentando um projeto de auxílio mútuo ao Parlamento Prussiano, em 1867, Schulze conseguiu promulgar o primeiro Código Cooperativo do mundo. As cooperativas de crédito Schulze-Delitzsch surgiram por volta do ano de 1849.

As principais características do modelo por ele idealizado podem ser resumidas nos seguintes pontos:

1: o capital da sociedade é constituído através de quotas-partes integralizadas pelos associados, adotam o princípio de self-help;
2: há a constituição de fundo de reserva, geralmente limitado a dez por cento do capital subscrito;
3: distribuição dos ganhos entre os sócios sob a forma de dividendo;
4: responsabilidade solidária e ilimitada dos sócios pelos negócios da entidade;
5: não é uma associação classista, sendo permitida a participação de todas as categorias econômicas; todavia, dirige-se mais especificamente à classe média urbana.

07 – Alphonse Desjardins (1854-1920)

Prancheta_2_cópia_4

Criador do Cooperativismo de Economia e crédito mútuo, Alphonse Desjardins se inspirou nos modelos Raiffeisen, Schulze-Delitzsch e Luzzatti. O modelo surgiu no Canadá e une as funções de poupança e de crédito popular, com o auxílio mútuo.
O objetivo era criar o hábito da economia para se proteger dos abusos do sistema financeiro e para o atendimento das necessidades profissionais e familiares dos cooperados.

08 – Wilhelm Haas (1838-1913)

Prancheta_2_cópia

Wilhelm Hass criou, em 1872, sua primeira cooperativa camponesa de consumo, com o intuito de auxiliar os agricultores a conseguir todos os insumos dos quais necessitavam.
A cooperativa era baseada nos modelos do sistema de Delitsch e Raiffeisen. Hass estimulou a criação da União de Cooperativa do tipo Raiffeisen focado nos resultados econômicos. Ele dizia que a cooperativa deveria ser uma organização de pessoas solidárias na sua atividade econômica.

09- Theodor Amstad (1851-1938)

Prancheta_2

Considerado o patrono do cooperativismo no Brasil, Theodor Amstad era suíço e Padre Jesuíta. Desembarcou em Porto Alegre em 1885 e se tornou um importante líder rural e cooperativista. No município de Nova Petrópolis, fundou a primeira cooperativa de crédito no Brasil (Sicredi Pioneira RS), em 1902, seguindo o modelo Raiffeisen.

Entre 1902 e 1923 fundou, diretamente, 15 cooperativas de crédito. A partir de 1928, colaborou na constituição de outras 26 cooperativas, além de ter contribuído para a criação da primeira Central de Cooperativas de Crédito do Brasil.

10- Luigi Luzzatti (1841-1927)

Prancheta_2_cópia_2

Original de uma família israelita de Veneza, Luigi Luzzatti nasceu na Alemanha. Político, escritor e professor universitário, ele é conhecido por ter implantado o cooperativismo de crédito urbano alemão na Itália, sendo hoje conhecidas como “cooperativas de crédito do tipo Luzzatti”.
O modelo é caracterizado pela livre associação. O sistema criado por ele foi inspirado no de Schultze, porém adaptado para a realidade italiana.

11 -Roberto Rodrigues (12 de agosto de 1942 – 75 anos)

Prancheta_2_cópia_8

Roberto Rodrigues figura entre os principais personagens do agronegócio brasileiro. Sua carreira é dividida em três vertentes: acadêmica, agrícola e cooperativista. Rodrigues foi nomeado “Embaixador do Cooperativismo” pela ONU e vencedor do prêmio Rochdale, na Inglaterra, pela Aliança Cooperativa Internacional (ACI), organização na qual foi presidente de 1997 a 2001.

Rodrigues também foi presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras – OCB por dois mandatos (de 1985 a 1991), da Organização Internacional de Cooperativas Agrícolas (de 1992 a 1997).

Comissão Técnica: Sociedade dos Pioneiros de Rochdale

Cmissao-tecnica

A Sociedade dos Probos de Rochdale foi criada em 1844 por 28 operários – 27 homens e 1 mulher. Os tecelões de Rochdale foram os precursores do cooperativismo moderno mundial. Em meio à Revolução Industrial, na Inglaterra, o grupo se organizou, enxergando no associativismo uma saída para a crise.

Os 28 alugaram um armazém para estocar produtos comprados em grande quantidade, para então revender. Com um investimento de capital inicial de uma libra cada, criaram a cooperativa de consumo chamada Rochdale Society of Equitable Pioneer. A primeira cooperativa moderna forneceu ao mundo os princípios considerados até hoje como a base do cooperativismo mundial.

E aí, vamos ser campeões? Tá faltando o Romário? Partiu resenha!
Conta para nós quem você acha que faltou nesta lista. 😀

INSCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER!

Compartilhe: