Programa pioneiro no Estado promoveu seu primeiro seminário

    Já falamos bastante aqui no Geração Cooperação sobre o programa Aprendiz Cooperativo, iniciativa que possibilita aos jovens a entrarem no mercado de trabalho através do cooperativismo.

Hoje, vamos falar sobre o projeto Aprendiz Cooperativo do Campo, que além de possibilitar a abertura das portas do cooperativismo para os jovens, também promove a importância da sucessão familiar na agricultura. Inédito no Brasil, o programa, liderado pela Cotrijal e pelo Sescoop/RS, teve um importante momento de debates, trocas de conhecimento e aprendizado. Ocorreu no dia 21 de maio, o 1º Seminário do Programa Aprendiz Cooperativo do Campo.

Seminário

A programação, desenvolvida na Associação dos Funcionários da Cotrijal, procurou debater o processo de sucessão familiar. “É um momento para estimular pais e filhos a entenderem que a sucessão precisa ser planejada”, disse o presidente da Cotrijal, Nei César Mânica, que abriu o seminário com palestra em que apresentou a visão de futuro da Cooperativa.

Para a professora Rosani Spanevello, da Universidade Federal de Santa Maria, que conduziu palestra sobre o tema, a sucessão tem que ser um processo construído, que começa quando os filhos ainda estão crescendo. “As famílias precisam pensar a sucessão como um item da gestão”, afirmou. “Assim como se planeja um investimento ou a definição das variedades de soja a serem usadas na lavoura, a sucessão deve fazer parte do planejamento familiar. A partir do momento que ficam acertadas as questões sucessórias, a família tem mais facilidade de fazer o planejamento em médio e longo prazo”.

Rosani destacou ainda a importância da iniciativa da Cotrijal e do Sescoop/RS em realizarem o seminário envolvendo pais e filhos. “Pais e filhos têm óticas muito diferentes sobre alguns assuntos e colocá-los frente a frente debatendo e dialogando sobre a sucessão foi muito interessante”, elogiou.

Pais e filhos elogiam iniciativa

Ismar Schneider, 59 anos, a esposa Maria de Lourdes, 57, e o filho Álison Daniel, 14, saíram do seminário muito satisfeitos. “É louvável a iniciativa da Cotrijal e espero que no próximo ano logo se tenha uma nova turma de alunos participando”, disse o produtor, de Santo Antônio do Planalto, feliz porque o filho vai permanecer na propriedade.

“Já noto mudanças no relacionamento com meu filho, Victor Mateus, que está muito mais interessado em participar da gestão da propriedade”, elogiou Luiz Carlos Schuster, 52 anos, de Não-Me-Toque, um dos grandes incentivadores para que se criasse um curso de aprendiz específico para filhos de agricultores.

O Programa

O Programa Aprendiz Cooperativo do Campo iniciou aulas no dia 2 de fevereiro e deve se estender até abril de 2017. Ao todo, serão 1.104 horas/aula, entre teoria e prática, no turno da tarde. As aulas teóricas são desenvolvidas em sala de aula e as práticas, nas propriedades rurais. A escolha dos módulos e conteúdos a serem trabalhados foi alinhada em conjunto pelo Sescoop/RS e Cotrijal.

Compartilhe: