Existem diversos tipos de cooperativas, que diferem entre si de acordo com as atividades que desenvolvem. No post de hoje você vai saber mais sobre as cooperativas educacionais.

As cooperativas educacionais surgiram como uma alternativa à deficiência do Estado de prover ensino público de qualidade e à incapacidade das famílias de bancar os altos custos do ensino particular. A primeira cooperativa educacional do Brasil surgiu em 1982, quando um grupo de pais se reuniu e decidiu formar uma escola.

Elas são formadas por professores que se organizam como profissionais autônomos para prestar serviços educacionais e por pais de alunos que buscam uma educação melhor para seus filhos, administrando as escolas e contratando os professores. Seu objetivo é unir ensino de boa qualidade e preço justo. Assim, pais de alunos e professores formam e administram escolas cooperativas, promovendo a educação com base na democracia, na cidadania, no desenvolvimento da comunidade e na cooperação. Sua maior vantagem é permitir que pais e professores tenham maior participação na instituição de ensino.

Diante da má qualidade da educação brasileira, cada vez mais pais buscam assumir o controle e se envolver com a formação escolar dos filhos. Nas cooperativas educacionais eles podem controlar o projeto pedagógico, as práticas e os métodos aplicados.

As cooperativas educacionais funcionam como uma escola convencional, respeitando todas as diretrizes do MEC. O corpo docente e a equipe de direção pedagógica são funcionários contratados. Cabe aos pais o gerenciamento dos recursos financeiros, geralmente por meio de assembleias, e a definição dos métodos pedagógicos. Eles também têm oportunidade de participar de um conselho pedagógico ligado à diretoria da cooperativa e ao corpo docente.

Existem hoje mais de 300 cooperativas educacionais cadastradas na Organização das Cooperativas Brasileiras. Nos últimos anos houve um crescimento significativo dessas instituições: em 1995 eram apenas 106 cooperativas.

Já no Rio Grande do Sul existem 20 cooperativas educacionais, com 3.368 associados e cerca de 80 empregados. O faturamento anual do ramo no RS em 2012 foi de R$ 15.448.573, 18,4% maior do que em 2011. Algumas das principais cooperativas educacionais gaúchas são a Cooeducars e a Cooplider, de Porto Alegre, a Cooperconcórdia, de Santa Rosa, e a Coopeva, de Venâncio Aires.

E você, tem alguma experiência com cooperativas educacionais? Conte pra gente nos comentários!

Compartilhe: