As cooperativas de trabalho nasceram quando profissionais autônomos se uniram para buscar melhores condições profissionais.

Existem no Brasil, segundo critérios da Organização das Cooperativas Brasileiras – OCB, 13 ramos de atuação econômica do cooperativismo. Um desses ramos é o das cooperativas de trabalho.

Elas nasceram quando profissionais autônomos se uniram para buscar melhores condições de trabalho. Se, por um lado, eles não têm os benefícios previstos pelo regime CLT, por outro garantem inserção no mercado com mais frequência e melhores salários.

As cooperativas de trabalho abrangem praticamente todos os setores da economia. São, em geral, formadas por profissionais de um mesmo ramo, que se propõem a realizar em comum suas atividades profissionais. A força de trabalho é o principal, e muitas vezes o único, capital dos cooperados.

Elas surgiram com maior força no Brasil na década de 1990, em meio a altos índices de desemprego, e despontaram como opção para gerar, manter ou recuperar postos de trabalho. Exemplos de cooperativas de trabalho são as que reúnem pessoas nas atividades de artesanato, consultoria, auditoria, costura, informática e segurança.

Existem hoje 966 cooperativas de trabalho no país, que reúnem 188,7 mil cooperados e geram cerca de 2,7 mil empregos diretos.

Algumas das cooperativas de trabalho gaúchas são a Cotrainfo – Cooperativa de Trabalho, a Cooperativa de Trabalho Transdisciplinar Arcoo, a Cooperativa de Trabalho em Psicologia e a Cooperativa dos Trabalhadores Operacionais de Serviços.

Compartilhe: