Confira as histórias de cooperativas que se uniram para fortalecerem seus trabalhos

01-foto-blog-intercooperacoes

Em outubro deste ano, um evento chamado Epecoop trouxe a discussão do papel da Intercooperação no desenvolvimento do Cooperativismo Gaúcho. Tiveram conferências nas quais foram mostrados vários exemplos de casos em que a intercooperação impulsionou cooperativas. Confira alguns deles:

Coogamai e Creluz
A Cooperativa de Garimpeiros do Médio Alto Uruguai (Coogamai) faz a regulamentação dos garimpeiros associados. Em parceria com a Cooperativa de Distribuição de Energia (Creluz), ela recebe mudas para a recomposição das áreas degradadas pela atividade minerária. Em contrapartida, a Coogamai faz com que o garimpo se mantenha legalizado em sua área de atuação, possibilitando o emprego de dez mil pessoas.

Coagril e Redeagro
A Cooperativa dos Agricultores de Chapada Limitada (Coagril) tem um supermercado e compra cerca de 10% dos seus produtos por meio da Redeagro Central das Cooperativas Agropecuárias/Compras para o Varejo. Com a união das cooperativas, o preço das compras se torna mais baixo, além de fortalecer as cooperativas.

Cooperativa Nova Aliança
A Cooperativa Nova Aliança surgiu da união de cinco tradicionais cooperativas vitivinícolas da Serra Gaúcha: Cooperativa Aliança, Cooperativa São Victor, Cooperativa São Pedro, Cooperativa Santo Antônio e Cooperativa Linha Jacinto. A intercooperação surgiu a partir de uma necessidade de investir em inovação e tecnologia. Juntas, elas conseguiram criar uma planta industrial, que é a mais moderna e eficiente da América Latina no segmento de produção de suco. Após a junção, o faturamento das cooperativas triplicou.

Compartilhe: