A presidente da Cresal conta sua história dentro do cooperativismo

   Muitos pensam que para começar a trabalhar em uma cooperativa você precisa ser um expert no assunto. A quantidade de aprendizado vem da experiência, mas, claro, estudar o cooperativismo amplia suas possibilidades e seus horizontes. Hoje vamos contar a história de Bernardete, que descobriu no estudo do cooperativismo uma oportunidade de crescimento dentro do seu trabalho.

Bernardete Pilatti, de Porto Alegre, iniciou no mundo do cooperativismo como sócia da Cresal. Hoje, ela atua através do Conselho de Administração, onde é Presidente. “Comecei na suplência e logo no primeiro ano de mandato, assumi a Diretoria Administrativa”. Ao perceber a necessidade de ganhar mais conhecimento sobre o assunto, Bernardete começou a estudar na Escoop em 2012. “Buscava conhecimento, respostas às questões sobre o tema e uma graduação”, diz ela.

E, ao ser perguntada se suas expectativas foram atendidas, Bernardete diz que ficou satisfeita com o curso, “pela abrangência dos conteúdos e principalmente pela instigação à busca de conhecimento. A graduação não me deu todas as respostas, ela me deu a base para encontrá-las.”

Os momentos mais marcantes da faculdade, para Bernardete, foram os que a colocaram em contato com outras cooperativas para estudo. “Interessante também a oportunidade de participar em palestras e seminários, ouvindo experiências sobre cooperativismo em diferentes realidades e culturas”, lembra ela.

Quando perguntada se trabalhar com o cooperativismo é uma opção bacana para os jovens, Bernardete responde: “Sim. E não só trabalhar, mas, principalmente, ser um cooperado. O mercado de trabalho, de produção e comercialização estão cada vez mais específicos e isso, muitas vezes, exclui o jovem. Além disso, a cooperativa é uma via para o desenvolvimento familiar e comunitário”, afirma Bernardete.

E aí, se convenceu da importância de um curso voltado para o cooperativismo? Ficou com vontade de saber mais? Visite o site da Escoop e fique por dentro de tudo o que acontece na primeira faculdade de cooperativismo do Brasil.

 

Compartilhe: