A primeira cooperativa de crédito no continente americano surgiu no Canadá, em 1900, e serviu de inspiração para muitas outras cooperativas de crédito.

capa-desjardins

Os primeiros registros do surgimento de cooperativas remontam ao século XIX. A primeira cooperativa de que se tem notícia surgiu em Rochdale, Manchester, Inglaterra. Foi constituída em 1844 por 28 tecelões que buscavam uma alternativa à crise econômica e ao desemprego, decorrentes das mudanças empreendidas pela Revolução Industrial. A sociedade tinha a natureza de cooperativa de consumo e recebeu o nome de Sociedade dos Probos Pioneiros de Rochdale.

Quanto às cooperativas de crédito, elas surgiram na Alemanha, por volta do ano de 1850, inicialmente para atender às necessidades dos trabalhadores do meio rural, tendo, posteriormente, passado a funcionar também na prestação de serviços para os trabalhadores que desenvolviam atividades na área urbana. A estrutura do cooperativismo de crédito organizou-se a partir da contribuição de Rochdale e de experiências como as de Schulze-Delitzsch, Raiffeisen e Haas, na Alemanha, Luzzatti e Wollemborg, na Itália.

O início de tudo

No dia 06 de dezembro de 1900, surgiu na cidade de Lévis, estado de Quebec, no Canadá, o cooperativismo de crédito Desjardins. Idealizada por Alphonse Desjardins, essa espécie de cooperativa de crédito foi inspirada nos modelos Raiffeisen, Schulze-Delitzsch e Luzzatti, na tradição dos saving banks dos Estados Unidos e nos valores religiosos vivenciados por seu idealizador.

O modelo criado por Desjardins unia as funções de poupança e de crédito popular com o intuito de, mediante o auxílio mútuo, criar nos cooperados o hábito da economia sistemática para o atendimento de necessidades profissionais, familiares e pessoais, bem como conduzi-los à prática da autogestão democrática e à autoproteção contra os abusos do sistema financeiro da época.

O idealismo de Desjardins

Preocupado em fortalecer as instituições cooperativistas e promover a unidade do movimento, Desjardins empenhou-se em construir um sistema federado, com um órgão centralizador que oferecesse a prestação de serviços de educação, assistência técnica, divulgação das cooperativas de crédito e promovesse a estabilização econômica dessas cooperativas mediante a constituição de uma Caixa Central.

A criação da primeira caixa de poupança popular foi revestida do idealismo de um trabalho solidário, de cooperativa popular, em que os membros depositariam suas pequenas economias e utilizariam o microcrédito para o incremento de seus negócios.

Rápida expansão

O modelo Desjardins de cooperativa de crédito teve rápida expansão em todo o mundo, inspirando, ainda hoje, grande parcela das cooperativas de crédito em funcionamento nos mais diferentes países. Após a implantação do projeto, Alphonse Desjardins decidiu multiplicar as agências de crédito, que, em 1920, totalizariam 140 caixas de poupança. O que era em 1900 uma modesta sociedade cooperativa passou a ocupar uma posição de destaque na sociedade canadense, como uma sólida instituição financeira, calcada nos princípios de seu fundador.

Setenta anos mais tarde, o movimento criado por Desjardins em Quebec já totalizava 1339 caixas populares, a serviço de mais de 4,4 milhões de membros. Atuantes em 954 municípios e donas de um ativo global de 34,8 bilhões de dólares, as caixas de poupança Desjardins formam hoje uma rede de serviços financeiros que é considerada como a de maior credibilidade e a mais procurada em Quebec.

Confederação de Caixas Populares

Representado e coordenado pela Confederação de Caixas Populares e de Economia Desjardins de Quebec, o Movimento Desjardins reúne igualmente, dentro de cada província, 11 federações de caixas, uma caixa central e mais de 20 sociedades de carteira e de filiais especializadas, no escopo de seguros, serviços fiduciários, crédito industrial, investimento e valores mobiliários.

Esta importante rede de serviços financeiros sobressai não somente pelo seu porte, mas também por sua organização. As caixas populares fazem parte de empreendimentos cooperativos, não se tratando de sociedade por ações. De acordo com os princípios cooperativos, elas são associações de pessoas que se unem com o objetivo de obter serviços financeiros. As caixas populares distinguem-se, dessa forma, dos bancos pela natureza de seus objetivos, que são aqueles que motivaram a sua criação: servir às classes populares.

A missão de Desjardins é, até hoje, fomentar a prática da poupança entre os membros de uma classe de condições modestas e, desse modo, fornecer um instrumento de crédito que fosse colocado à sua disposição em decorrência de um capital formado pelas suas próprias economias. A grande preocupação de Desjardins sempre foi oferecer um crédito acessível aos agricultores, aos artesãos e aos trabalhadores, e, acima de tudo, proporcionar-lhes uma emancipação econômica.

Compartilhe: