Conheça as iniciativas sustentáveis adotadas pelos Festivais de Música mundo afora.

O #trendingtopic das corporações é rotina no cooperativismo. A sustentabilidade, que começou a ser pautada recentemente nas empresas, por aqui não é novidade. Muito pelo contrário, o assunto é prioridade dentro do cooperativismo, e estamos sempre buscando referências sobre modelos de desenvolvimento sustentável.

Hoje é dia de mergulhamos no mundo da música para buscar inspirações práticas e divertidas. Confira seis festivais musicais que dão show em práticas sustentáveis:

1) Coolritiba – Festival de atitudes que mudam o mundo (Brasil)

Um mundo mais cool começa em Curitiba/PR com o festival que une música, moda, arte, gastronomia e, claro, sustentabilidade. O evento conta com diversas medidas sustentáveis, entre elas: reciclagem do lixo gerado, cenografia feita com material reciclado, utilização de copos retornáveis, distribuição de água gratuita e disponibilização de lixeiras adequadas para a separação do lixo.

Além de tudo isso, o Festival é um dos únicos eventos mundiais que possui 100% dos gases compensados, o que é feito através da aquisição de créditos de carbono de projetos socioambientais.

 

2) Rock in Rio – Por um mundo melhor (Brasil e Portugal)

Um dos maiores festivais brasileiros, além de contar com shows imperdíveis, levanta a bandeira “por um mundo melhor”, através do programa Amazônia Live, que promove diversas ações durante o evento.

Cerificado na norma internacional ISO 20121 – Sistema de Gestão de Eventos Sustentáveis, o evento já adotou em suas edições ações como: compensação da emissão de gás carbônico através do plantio de árvores e patrocínio de projetos ambientais, gestão de resíduos, oferecimento de transporte coletivo ao público, além do reconhecimento de ações sustentáveis feitas por parceiros.

Leia mais  Free Your Stuff ? cooperando com as redes sociais

 

3) Boom Festival (Portugal)

Há anos, o festival português é reconhecido pela prática de ações sustentáveis, em nível social e ambiental. Dentre as práticas utilizadas pelo festival atualmente, destacam-se o desenvolvimento de casas de banho ecológicas, o tratamento das águas do festival com biotecnologia, a utilização de energias limpas e o fornecimento de cinzeiros de bolso para os participantes.

Em 2010, o Boom Festival foi convidado pela ONU para fazer parte do projeto “United Nations Environmental and Music Stakeholder Initiative”, que busca promover a conscientização ambiental em festivais.

 

 

4) Way Out West (Suécia)

O Festival Sueco vem ganhando cada vez mais a atenção mundial pelas suas iniciativas sustentáveis. Na verdade, a sustentabilidade faz parte da essência do evento, que ousa ao ser 100% vegetariano. Por possuir a certificação ISO 20121, o Festival é comprometido em promover ações que garantam a sustentabilidade em três níveis: ecológico, social e econômico.

Uma das últimas inovações do evento foi abraçar, além da música e do cinema, talks que abordam pautas ambientais e sociais, como refugiados, Cowspiracy, bike, produção musical e feminismo.

 

 

5) Flow (Finlândia)

Os festivais finlandeses são conhecidos internacionalmente pela preocupação com aspectos sustentáveis. Um exemplo disso é o Flow Festival, um dos primeiros eventos do mundo a neutralizar 100% dos gases emitidos. Hoje, o Flow utiliza energia verde e oferece transporte inteligente e sustentável.

Além disso, o evento conta com iniciativas para a reutilização e reciclagem de materiais, buscando, anualmente, aumentar a reciclagem de resíduos compostáveis.

 

 

6) Øyafestivalen (Noruega)

Determinado a fazer a festa mais verde do planeta, o Festival adota iniciativas sustentáveis que permeiam todos os aspectos do festival, desde a geração de energia, até a comida servida no evento, que é 100% orgânica e vegetariana, além de ser servida em pratos comestíveis.

Leia mais  Conheça o projeto Coopero por um Mundo melhor

O deslocamento ao festival não fica de fora, o transporte público que leva o pessoal para o evento é o que menos emite CO2 no continente. O uso de bikes também é incentivado através do oferecimento de uma oficina gratuita para reparos.

 

Com esses seis exemplos, é possível percebermos o impacto da música para promover ações sustentáveis, não é mesmo? Caso você conheça mais algum festival que possa entrar nessa lista, não deixe de compartilhar conosco.

Inscreva-se em nossa Newsletter!
Compartilhe: