Cooperativas de reciclagem, como a Copercicla, desenvolvem importante trabalho em todo o país

cooperativas de reciclagem

Cooperativas de reciclagem foi o tema proposto a partir de um post do GC no Instagram, onde a gente pediu para as pessoas marcarem uma cooperativa que gostariam de ver mais no blog e nas redes sociais do Geração Cooperação.

Olha que legal!

Aí a @nerylima42 comentou que está construindo o seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) com o tema Criação de cooperativa de material reciclável, e pediu que falássemos mais a respeito.

No mesmo post, o @cristianvidal17 comentou que gostaria de ver mais posts e conteúdos sobre a Copercicla, a Cooperativa de Trabalho dos Recicladores de Resíduos Orgânicos e Inorgânicos de Santa Cecília do Sul, no Rio Grande do Sul.

Então, a gente do GC resolveu juntar tudo isso num artigo sobre a importância das cooperativas de reciclagem. Se liga que ficou joia!

Por que as cooperativas de reciclagem são importantes?

O lixo sempre foi um problema para cidades de todos os tamanhos. Hoje, com uso cada vez maior de materiais descartáveis, o volume de lixo gerado tem aumentado consideravelmente.

O que fazer com esse lixo, além de um enorme problema ambiental, também é um desafio econômico para os municípios e social para as comunidades.

É nesse contexto que crescem em importância as cooperativas de reciclagem, que são capazes de:

  • reduzir os custos das prefeituras para coletar o lixo gerado
  • realizar a triagem dos materiais que podem ser reciclados
  • gerar renda para um grande contingente de pessoas que, sem as cooperativas, teriam suas condições de trabalho enormemente precarizadas
  • e desafogar o meio ambiente, que deixa de receber enorme carga de lixo que passa a ser destinado de forma correta

Como funcionam as cooperativas de reciclagem?

Na prática, as cooperativas de reciclagem desenvolvem todo o processo de separação do lixo, tratamento dos materiais recicláveis e, após, os enviam às empresas recicladoras que comercializam esses materiais.

Leia mais  Cooperativas de Saúde: o ramo mais brasileiro do cooperativismo

Para isso, uma série de etapas acontece:

  • Coleta: nesta etapa, os catadores coletam o lixo reciclável como alumínio, papel, plástico e vidro, e entregam à cooperativa. Os catadores podem ser autônomos – que vendem o que catam à cooperativa – ou mesmo associados das cooperativas.
  • Triagem: quando o material chega às cooperativas, ele precisa ser separado para que nas empresas recicladoras sejam tratados e reciclados, portanto, devem ser colocados em seus respectivos reservatórios, de acordo com o tipo de cada material.
  • Prensa: o material já separado é prensado e, para que isso aconteça, são utilizadas grandes prensas que compactam o material em grande quantidade. São esses “fardos” que são, depois, vendidos para as empresas recicladoras.
  • Venda: nessa última etapa do processo de reciclagem, todo o material é transportado e vendido para empresas recicladoras que fazem o processo de reciclagem, tornando a usar esses materiais como matéria-prima.

Como funciona a Copercicla?

Copercicla surgiu em 1991 no formato de associação de catadores e recicladores, que reuniu, inicialmente, 13 participantes.

A associação deu certo e o negócio foi crescendo. Aí, em 2003, para facilitar a prestação de serviços e ter mais força na reivindicação de suas demandas, foi fundada a Cooperativa de Trabalho dos Recicladores de Resíduos Orgânicos e Inorgânicos de Santa Cecília do Sul.

Desde então, a Copercicla investiu muito na sua infraestrutura, e hoje possui capacidade de processar aproximadamente 14 toneladas de lixo por dia, proveniente de 14 municípios da região de Passo Fundo.

75 associados trabalham em todo o processo, desde a coleta, transporte para a usina de reciclagem, seleção do lixo e transporte dos materiais selecionados para as empresas que fazem o reaproveitamento.

O manejo com o lixo, que no início da Copercicla era visto com certo preconceito, hoje é respeitado como uma solução inovadora que a cooperativa oferece, agregando valor ao trabalho de cada associado.

Leia mais  Cooperativa gaúcha investe no mercado de frutas orgânicas

A Copercicla é o cooperativismo gerando inovação, proporcionando trabalho, fomentando a economia, valorizando o ser humano, produzindo desenvolvimento social e, ainda, protegendo o meio ambiente, exatamente como pregam nossos princípios.

O que você pode fazer para ajudar?

Para que o trabalho das cooperativas de reciclagem como a Copercicla tenha êxito, a contribuição da população é fundamental.

Se o seu município ainda não possui programa de reciclagem, pressione o prefeito para que implante a reciclagem o quanto antes.

Agora, se o seu município já possui programa de reciclagem, é de extrema importância que os resíduos sejam separados corretamente.

Sem a separação, os resíduos recicláveis podem ser desperdiçados e encaminhados para o aterro como lixo comum, levando centenas ou milhares de anos para serem decompostos, prejudicando o meio ambiente.

Além disso, por erro de separação, muitos materiais que chegam às cooperativas de reciclagem não podem ser aproveitados.

Então, a melhor maneira de ajudar é separando o lixo de forma correta. Confira como, segundo as informações do site Dinamica Ambiental:

  • Não coloque resíduos sujos: Esvazie garrafas e recipientes. Para higienizar os materiais antes de enviar para as cooperativas, não é necessário aumentar o gasto com água; deixe separado, por dia, um balde de água para lavar as peças. No caso de papéis, papelões como caixas de pizza e pratos prontos com resíduos de gordura e alimentos, não é possível reaproveitar.
  • Amasse e dobre o que for possível: Organize os resíduos. Amasse as latas e dobre papelões para facilitar a coleta.
  • Evite sacos escuros: Deixe o lixo reciclável em sacos que possibilitem a identificação do material, para colaborar com o trabalho dos coletores.
  • Feche embalagens: Garrafas e recipientes plásticos devem ser colocados fechados na lixeira, pois embalagens abertas podem acumular água e tornar o material impróprio para reciclagem.
  • Nem todo vidro, plástico, metal e papel pode ser reaproveitado: Vidros, como lâmpadas, são tóxicos. Papéis plastificados, esponjas de aço e embalagem de pesticidas, por exemplo, também devem ser encaminhados ao lixo comum. Cuidado com esses itens na hora de colocar em lixeiras na rua.
  • Encaminhamento dos materiais: Os recicláveis devem ser colocados para coleta apenas no dia em que o caminhão da coleta seletiva passa na sua rua ou quando você souber que os catadores desses materiais passarão por lá. Assim, evita-se o acúmulo de sacos na calçada e o risco de cães os rasgarem, espalhando os resíduos e atraindo insetos.
Leia mais  Burger King X McDonald's

Mande sua sugestão também!

Viu que legal o artigo que produzimos com as dicas da @nerylima42 e do @cristianvidal17? Você também pode nos enviar as suas dicas de assuntos que podemos abordar aqui no Geração Cooperação.

Se você trabalha em uma cooperativa, quer saber números do cooperativismo, quer conhecer o trabalho de alguma cooperativa ou saber mais sobre a importância ou a história do cooperativismo, é só falar com a gente!

Se você gostou deste artigo, use suas redes sociais e compartilhe com os amigos. Não esqueça de nos marcar, hein? E nos siga também nas redes sociais. O Geração Cooperação está no FacebookInstagramTwitter e YouTube.

Valeu, geração!

Inscreva-se em nossa Newsletter!
Compartilhe: