A gente fala muito de cooperativismo aqui. Agora vamos sair do debate e encarar a prática?

“Nossa, Geração, que artigo sério!”. Calma pessoal, nós sempre falamos sério aqui no blog. Mas sempre de maneira descontraída. Agora, não vai ser diferente. O que queremos com esse artigo é mostrar, afinal, como você pode sair da teoria e encarar, na prática, o cooperativismo.

Não queremos ser presunçosos, mas é, sim, um guia definitivo porque está inspirado na página Como criar uma Cooperativa no site do Sescoop/RS. Logo, é um guia definitivo, sim. Além de ser um guia prático, claro.

Vamos lá?

Por onde eu começo?

A primeira coisa que você precisa ter na cachola é que abrir uma cooperativa é fundar um negócio coletivo, com visão econômica, social e ambiental, ou seja, sustentável. E se é coletivo, é claro que precisa ter mais gente além de você, né? Então, bora reunir uma galera com objetivos comuns.

É agora, com o povo reunido, que vocês vão, coletivamente, determinar os objetivos da cooperativa; ver se todo mundo está realmente interessado em fazer parte; elaborar o plano de negócios para ver se abrir uma cooperativa é viável econômica, financeira, mercadológica e socialmente; e eleger uma comissão executiva, aqueles que vão cuidar das questões burocráticas de como montar uma cooperativa.

 

Plano de negócios?

Sim, busque informações no mercado sobre oportunidades do seu produto ou serviço. Só assim você vai ter noção em que mercado estará atuando, como seu produto será recebido e que atitudes vocês precisam desenvolver para empreender em uma cooperativa.

É como organizar aquele festão: você vai ter que pensar o que você quer, como você quer, quantos e quem convidar, quanto vai investir… Enfim, é um planejamento detalhado do que vocês pretendem fazer. Lembre-se: a festa não se realiza por si só. É preciso planejamento e ação. Assim também é com a cooperativa.

 

Reunir a galera

Para formar uma cooperativa, são necessárias no mínimo 20 pessoas. A exceção é para algumas cooperativas (como as de produção de bens e serviços) que podem ser constituídas com 7 associados.

E o que essa galera toda tem que fazer? Vão ter que responder a algumas questões importantíssimas, como:

  • A galera sente que fundar uma cooperativa é realmente necessário?
  • Abrir uma cooperativa é a melhor solução para resolver o problema proposto?
  • Já existe alguma cooperativa nas redondezas que possa satisfazer a necessidade do grupo e que a gente possa se incorporar em vez de montar uma nova cooperativa?
  • A galera está interessada mesmo a ponto de investir o dinheiro necessário para fazer a coisa acontecer?
  • Com base no plano de negócios, o volume de negócios que serão gerados vai ser suficiente para que os associados tenham benefícios?
  • A galera vai ter tempo e estará disposta a botar a mão na massa com a nova cooperativa?

Nessa hora, é sempre bom lembrar que a cooperativa é uma empresa que será o negócio próprio de cada um e que, por isso, a galera tem que encarar com seriedade.

 

Elaborar o estatuto

O estatuto são as regras da cooperativa. Os associados vão escrever e aprovar item por item, artigo por artigo, cada uma dessas regras. É no estatuto da cooperativa que são descritas a localização da sede, a política de entrada ou saída de associados, regras de eleição da diretoria, regras para subscrição e integralização de cotas, etc.

A elaboração do estatuto da cooperativa é realizada por uma comissão formada pelos associados, e a primeira coisa que essa comissão tem que fazer é procurar o Sistema Ocergs-Sescoop/RS para solicitar orientações. Depois, a comissão elabora uma proposta de estatuto da cooperativa e distribui cópias para os associados. Em um terceiro momento, a comissão realiza reuniões para debater todos os itens da proposta de estatuto.

 

Tudo pronto, bora fundar a cooperativa?

Para fundar uma cooperativa, os associados farão uma Assembleia Geral de Constituição da Cooperativa, que nada mais é do que uma reunião com todos para formalizar a fundação da cooperativa.

Nessa reunião, todos os associados deverão estar presentes para aprovar o estatuto, eleger a diretoria e os conselhos, e também para assinar a ata de constituição e o estatuto social. Lá no futuro, quem participou da fundação de uma cooperativa de sucesso vai poder se gabar de ter assinado a ata e o estatuto, hein?

Mas fazer uma Assembleia Geral de Constituição da Cooperativa não é só realizar uma reunião de qualquer jeito, não. Existem regras a seguir e um passo a passo que o pessoal do Sescoop/RS orienta bem para tudo sair direitinho. Converse com eles.

 

Pronto, agora é só registrar a cooperativa

Depois da Assembleia Geral de Constituição da Cooperativa, as cooperativas do Rio Grande do Sul precisam realizar ainda dois registros para estarem autorizadas a atuar no mercado. O primeiro é na Junta Comercial, como qualquer empresa, onde a diretoria vai registrar a ata de constituição da cooperativa, o estatuto e demais documentos que a Junta solicita. Confira em https://jucisrs.rs.gov.br/inicial

O outro registro, claro, é na Organização das Cooperativas do Brasil (OCB) através da Ocergs. Esse registro é como uma certidão de nascimento da cooperativa perante todo o movimento cooperativista, e onde a nova cooperativa se declara estar de acordo com as leis cooperativistas.

Ficou com dúvida? Corre contatar o Sistema Ocergs-Sescoop/RS que o pessoal lá tá sempre pronto pra ajudar. Afinal, cooperar está no sangue, né?

Compartilhe: