O Geração Cooperação conversou com o Engelberto Henn para entender mais a atuação dos filósofos em cooperativas.

Graduado em filosofia, e com pós-graduação Psicopedagogia e Gestão em Cooperativismo, Engelberto Henn atua como professor e presidente da Cooperativa de Profissionais em Educação de Venâncio Aires (Coopeva). Lá, ele ministra aulas de sociologia, psicologia e filosofia para turmas do Ensino Médio: “Como a nossa é uma Cooperativa Educacional, esses cursos das Ciências humanas são de grande valia para atuação em uma cooperativa, porque, como todos bem sabem, o principal capital das cooperativas é o CAPITAL HUMANO. Isso facilita, em muito o entendimento do ser humano, como ser individual e social”, detalha o professor.

Além de atuarem como professores e pesquisadores, profissionais desses campos podem assumir cargos de gestão de pessoas, RH e outras áreas similares: “Quem tem formação nesses cursos (filosofia, sociologia e psicologia) tem grande preparo e conhecimento (antropológico) do ser humano para trabalhar em RH em qualquer cooperativa, pois, estará preparado para realizar as escolhas mais adequadas no preenchimento de postos de trabalho na cooperativa que vir a atuar”, completa. E, justamente por estarem tão acostumados a lidarem com pessoas, os profissionais dessas áreas devem buscar aprimorar esse tato social para desempenharem bem as suas funções: “Ser, antes de mais nada, um Ser Humano, no pleno sentido da palavra ou ainda, procurar ser especialista em gente”, destaca o presidente da Coopeva.

Questionado sobre o mercado de trabalho nessas áreas, Engelberto afirma que o cenário é bastante animador: “As oportunidades, nos últimos anos se ampliaram muito, em função da obrigatoriedade destas disciplinas nos currículos escolares do Ensino Médio Público. O Estado, por longo tempo, havia excluído a filosofia, a psicologia e a sociologia, fruto da ditadura militar. Felizmente, voltaram e existem muitas vagas nesta área. E, quanto ao cooperativismo sempre é uma boa alternativa, especialmente, nas educacionais, através da docência e nos outros ramos através do profundo conhecimento humano que proporcionam aos formados egressos desses cursos acima citados”.

Leia mais  Dia de Cooperar bate recordes

Geração – Na sua opinião, de que forma o cooperativismo pode melhorar nossa sociedade?

Prof. Engelberto – O cooperativismo é a grande saída para um mundo melhor. E, pelos resultados o mundo vai ser cada vez mais cooperativo. Pelo menos esta é a minha opinião.

Inscreva-se em nossa Newsletter!
Compartilhe: