Você deve saber muito bem que cooperativas e empresas tradicionais diferem muito quanto a seus objetivos. Mas já reparou como as grandes empresas privadas aos poucos estão tomando iniciativas que têm tudo a ver com os princípios do cooperativismo?

mundo-cooperativo

Algumas das marcas mais valiosas do mundo, em vários segmentos, estão pensando e agindo de forma bem mais voltada para as comunidades onde atuam. Estão voltadas não apenas para o lucro e benefícios para seu quadro social, mas também para modificar para melhor a vida das pessoas e o futuro de nosso planeta. Conheça alguns exemplos:

 

Sustentabilidade com visão de futuro

Um ótimo exemplo é o da Natura, a maior empresa do setor de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos do Brasil.

Através do documento Visão de Sustentabilidade 2050, a Natura se comprometeu, perante a sociedade, a tornar positivo seu impacto econômico, social, ambiental e cultural e estabeleceu metas de sustentabilidade para todas as áreas até o referido ano. É ou não é uma demonstração de responsabilidade social e transparência?

Raras espécies de sandálias

Já a Havaianas, recentemente, comemorou 15 anos de parceria com o Instituto Ipê.

havaianas-cooperativismo

A parceria já originou inúmeras coleções de sandálias que retratam a biodiversidade brasileira e informam sobre a importância da conservação de várias espécies.

7% do valor das sandálias é destinado ao Ipê, para pesquisa, educação e negócios sustentáveis. É intercooperação, (um dos princípios do cooperativismo), é responsabilidade socioambiental e interesse pela comunidade.

Mais de 14 milhões de pares de sandálias com artes inspiradas em espécies da fauna brasileira vendidas. Mais de R$ 8 milhões destinados ao Instituto Ipê.

Virando páginas

O Magazine Luiza, por sua vez, transformou o desafio de se comunicar de maneira relevante e próxima com clientes de diferentes regiões (neste país diverso que é o Brasil), em inovação. Associada ao Facebook, deu a seus 900 gerentes espalhados pelo país a oportunidade de se comunicarem diretamente com os clientes locais por meio de página própria.

Leia mais  Horóscopo cooperativo: descubra o ramo cooperativista que fecha com o seu signo

Autonomia e democracia na rede

Os gerentes são responsáveis pela administração da página e pelo planejamento dos conteúdos que melhor se comunicam com as pessoas de sua região. Toda a equipe das lojas se envolve no processo de criação.

Skol faz a roda girar no sentido da cooperação

Em janeiro deste ano, a Skol criou uma rede para fomentar projetos criativos na periferia de São Paulo.

A marca tratou de descobrir mobilizadores culturais com projetos inovadores de moda, música e conteúdo e se uniu aos coletivos Visionárixs da Quebrada e Favela Business para fazer a diferença nos quesitos criatividade e diversidade.

Assim surgiu o Roda do Corre, um projeto que, segundo os participantes, é da comunidade, em todos os sentidos. Um projeto bem democrático, não?

E tem cooperação bombando mundo afora…

Coca-Cola verde

A Coca-Cola anunciou, recentemente, a meta de coletar e reciclar o equivalente a cada garrafa ou lata que vende até 2030.

A meta é parte do plano “Mundo sem resíduos”, que tem como foco o ciclo de vida das embalagens. É consciência socioambiental pra ninguém botar defeito.

Um gesto solidário

Após o incêndio que destruiu parte da Catedral de Notre-Dame em Paris, o CEO da Apple, Tim Cook, prestou solidariedade e disse que a Apple ajudará na reconstrução.

Liberdade valorizada

A Worldblu é uma organização especializada na valorização e no desenvolvimento de culturas de trabalho democráticas e centradas na liberdade. Ela organiza uma lista anual e já apontou centenas de empresas que constroem trajetórias de sucesso com base na autonomia e liberdade para os colaboradores.

E você? Tem acompanhado casos de empresas que, mesmo atuando como organizações tradicionais, praticam os princípios do cooperativismo? Conte pra gente. Participe!

Inscreva-se em nossa Newsletter!
Compartilhe: