Fala, Geração! Como vocês estão?
Esperamos que muito bem, porque hoje trouxemos um assunto pra lá de delicioso.
Se o seu dia também só começa depois de uma boa dose de cafeína, esse artigo é para você!
Vem com a gente descobrir que onde tem protagonismo agrícola, tem cooperativismo!

Com sabor e aroma bem específicos que despertam e melhoram nosso humor e disposição, o café é uma bebida que prevalece em qualquer estação do ano e que não pode faltar na mesa dos brasileiros. Conforme a Associação Brasileira de Indústria de Café (Abic), o nosso país é o segundo maior consumidor do mundo, perdendo somente para os Estados Unidos.

Segundo a Abic, o consumo de café no Brasil cresceu 1,34% em 2020. Ou seja, 21,2 milhões de sacas, entre café torrado, moído e solúvel – uma média de 4,79 kg por pessoa. Isso mostra que o item continua sendo prioridade para os consumidores, com taxa de 97% de presença nos lares, de acordo com os dados da Associação.

Mas você sabia que as cooperativas também são grandes responsáveis por essa bebida ser um sucesso por aqui?

Jerry Seinfeld Seriously GIF - Find & Share on GIPHY

Indústrias cooperativas de café 

Não é novidade que as cooperativas estão ganhando cada vez mais espaço na economia, gerando emprego e renda. Na indústria cafeeira não é diferente.

Segundo dados da Abic coletados em 2016, as cooperativas foram responsáveis por 48% da produção de café do País. As informações ainda não foram atualizadas, mas já mostram a importância das coops no sucesso do mercado de bens e produtos.

No Brasil existem 97 cooperativas de café registradas no sistema das Organizações das Cooperativas Brasileiras (OCB), localizadas nos estados da Bahia, Espírito Santos, Goiás, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rondônia e São Paulo. O cultivo dos cafezais ocorre em 188.392 estabelecimentos da agricultura familiar, distribuídos em 10 estados diferentes de todo o País, de acordo com o Censo Agropecuário realizado pelo IBGE, em 2017. Não é pouca coisa, não!

Leia mais  Cooperativas gaúchas recebem premiações na Europa

Maior cooperativa de café do Brasil bate recorde de faturamento em 2020

Impulsionada pelo preço da saca do café e pela alta produção em Minas Gerais e São Paulo, a Cooxupé (MG) alcançou um recorde de faturamento em 2020. Mesmo em um ano de pandemia, a cooperativa faturou R$ 5,03 bilhões – 19,7% mais do que os R$ 4,2 bilhões do ano anterior.

Com o bom desempenho, a distribuição aos produtores associados foi de R$ 107 milhões, o que representou um crescimento de 85% em comparação com os R$ 57,8 milhões do ano passado. Desde 2019, a Cooxupé ganhou cerca de 2.000 novos associados, passando agora de 16 mil cooperados.

Isso só reafirma que as cooperativas brasileiras têm se destacado cada vez mais em diversos segmentos e o quanto oferecem benefícios para os associados e comunidade em que estão inseridas.  A principal vantagem da existência das coops agrícolas é o apoio à atuação dos trabalhadores rurais. Com os pequenos produtores se unindo às cooperativas, a produção se torna muito mais eficiente e de qualidade.

O diferencial dessas associações é que, além de gerar emprego e renda, elas promovem desenvolvimento econômico e bem-estar social aos cooperados. Demais, né?

O Brasil é o maior exportador de café do mundo e não é por acaso: as coops têm grande parcela nesse título. E aí, conta pra gente: você já conhecia a importância das cooperativas brasileiras na produção cafeeira?

Aproveita e compartilha esse artigo com um amigo!

Abraços e até a próxima. 😉

Geração Cooperação.

Inscreva-se em nossa Newsletter!
Compartilhe: